Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

pra você [ se aparecer]

um farto gole de versos
que jorram pelos meus
olhos
mãos
cabelos
pés
sexo
boca
coração
...


te odeio.
Haces eso a ella, que tanto te quiere?

Para as mudas de Nicolas Behr

Imagem
Poesia de éveri sirac para nicolas behr, o poeta cultivador de mudas.


Ei Nicolas
Sonhei que sua poesia
Saía do papel
A w2 na blitz fazendo um 4 pro soldado
A w3 semafílica
A L4 constipada
A L2 divorciada da Esplanada
A L1 num beco sem saída

O Eixo Monumental perdendo a cabeça na rodoviária
Os Três Poderes afogados no Paranoá
A tocha queimando com um pavio o Pombal
O Conic e Conjunto Nacional fazendo as pazes na fila do Teatro Nacional

E o índio candango dizia:


"A licença deputados
A licença senadores
Todos os telespectadores
Desse Brasil desavisado
O ser tão gente
Respeitem o Cerrado
Este solo é sagrado
Casa de nossos antepassados
A vida de nossos sucessores
Não se passa por cima os tratores
É preciso ter respeito e cuidado
Tudo um dia cai
Mas nosso chão nunca é derrubado".

Ascuribimailoves

Caba nãããão. Aniversário é todo dia!
PRA QUEIMAR O MEU FILME!



RECOMENDAÇÃO: Abaixe o volume, a partir do play é só gritaria.

ps: não sou que to cantando backstreetboys

Todos dormem, todos dormem...

Estão todos dormindo
Estão todos deitados
Dormindo
Profundamente.


Manuel Bandeira

Vida em construção

Imagem
"(...) Só se pode viver perto de outro e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. QUALQUER AMOR já é um pouquinho de saúde, um descanso na l o u c u r a (...)"

Guimarães Rosa

"Dezoito anos - A pétala singela. Delicada e protegida. Vai levada pelo vento. Vai num doce acalento. Numa vida de viagens. Revelando mil paisagens. Vai levada pelo vento. E leva sempre um cordão. Que sustenta sem espinhos. Pelos mais lindos caminhos. Carrega meu coração. A pétala singela. Delicada e protegida. Vai levada pelo vento..."

Zóim

Passado:

{achei num caderno, 13 anos, 7ª série}

"Evidentemente, eu me perco, desapareço, fico pra trás, é preciso voltar pra me procurar, fico presa lá longe. SOu esqeuartejada, arranhada, beliscam-me pelos cabelos enquanto tento não perder meus sapatos, sinto-me como um pedaço de cana-de-açúcar na engrenagem de fazer caldo, mas sobrevivo, mesmo sem palavras doces. Amor não morre.
Cabeça velada em contrição, longíqua, seguida de seu eco branco. Brasília em setembro fica com cor azul sujo, aqui e ali manchas ocres de ferrugem e de urina. Poeira imprensada, céu é cobre em pó da aula de ciências."

( Eu nem lembrava disso, mas pelo visto eu já era insana, credo )

Comedido

Imagem
Descobri que tu me amas,
Ainda que amor sereno.
De fato, tu não derramas
A insensatez do extremo.

Mas que me amas é certo,
Assim como é certo a lua
Esparramar seu afeto
Na escuridão da rua.

E sendo assim como és,
Com o pouco ama bastante.
Não te convém o viés
De inconsequente amante.

Ao amar suavemente,
Deixas clara, transparente
Tua alma comedida.

Me inspira confiança,
Renovando a esperança
De iluminar-me a vida.



*Beija-Flor voou à Lua, beijou a semente sua e seu corpo delicado e voltou pra me contar...*

Dia da Rafa

A onda humana continua, vagarosa e forte. É manhãzinha, aniversário da minha irmã quase-gêmea " seu eu não fosse tão apressada e ela tão lenta". Nossos melancólicos e jubosos 18 anos em 2009. Quase a mesma, mas não teria graça se fossemos. Mesmo que ela tenha passado antes no vestibular eu ter essa atração pela rua. Tenho certeza que, como eu, percebeu o Sol branco hoje, uma flor vermelha aberta e a pista dos carros listrada. A diferença é a fortaleza dessa menina, digna leonina. Eu, eu sempre me deixo levar e sem resistir. Mas somos assim, com olhares triunfantes e desdenhosos para a multidão que ainda se comprime nas praças. Mulheres que se põem a rezar e sonhar.
Feliz Aniversário, Raaaaaaaafaaaaaaaaaa!!




Ontem foi o meu kkkk, quase me mijei de rir com a Winy tocando "caação de natal" como fundo...
Tá lá nos 2minutos e 40. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Oi, nunca me vi assim, bêbada! Só pode! Aliás, eu rio O VIDEO INTEIRO! E vc lago.

Não prefiro ser essa metamorfose ambulante

Do que ter algumas opiniões formadas sobre, pelo menos, algumas coisas.

A gosto dos 18

Imagem
Hoje eu quero uma flor
Da mais vermelha que houver.
Hoje me esqeuço da dor.
Sou mais eu, mais mulher.

Hoje amanheci disposta
Desde que o sol apareceu.
Hoje a mesa está posta
E quem se senta sou eu.

Hoje é dia de graça.
Dia de vinho e cachaça
E de dar beijo na boca [do sonho]
Hoje é meu carnaval,
Nada de mulher-menina fatal
Hoje eu quero ficar louca.

Hoje eu vou comer baton,
Vou virar luz de neón,
Brilhando no planetário.
Hoje não me falta nada.
Vou varar a madrugada
[mesmo tendo aula]
Hoje é meu aniversário.


Plim. Tudo foi num estalar de dedos. Dezoito anos, mermããão. Pouco livro, muitas fomes, muita seca, bastate chuva. Muitos fins, com recomeços. Muita vida. Muito avoo. Muita música. Muito dentro. Muito AMOR, muita saudade.
Muita juba. Muito agosto, muita gente, muito dezoito.

Brasília Candanga - homenagem aos anos de Woodstock

Imagem
Eu acho eles todos um bando de filhos da puta! Tô falando é desse bando de velho que há um tempo atrás tava aqui construindo Brasília, essa Brasília além dos concretos-cimentos, nada de congresso, catedrais, ministérios... Refiro-me à construção da poesia, da revolta, dos muros pichados, dos surfistas na piscina de ondas, da punkazeada nos rola pedra. Eles, hum, são um bando de filhos da puta! Me fazem arder de raiva! Que fico aqui perguntando pra Deus ou o Diabo furiosamente o porquê deu ter nascido nessa época, geração msn (que tava virando uma androidezinha já). Esses véio que contam histórias de quintais, com Liga Tripa, Legião Urbana, Artimanha e Renoir nos filminhos, que poderosamente eram leves e irreverentes. Tá todo mundo junto até hoje. Indo pro teatro, vi o livro do Nicolas Berh no carro, é o último lançado (Beije-me). Um livro só de fotos da época. O que era aquilo!!!! Que tesouro na minha mão. Poderia lançar mil histórias que ouvi deles durante esses 17 anos, mas não vou …

Quando

Imagem
Quando nada mais restar
das minhas células latentes
e o meu coração não quiser mais pulsar
e meus olhos se fecharem lentamente

Ainda assim, algo em mim
não sei que parte
vai se render ao trsite fim
e do meu amor ainda vai falar-te.

Não deixarei morrer meu todo,
algo em mim vai resistir a morte,
não sei se a força dessa minha arte.

Só sei que quando inerte estiver
minha carcaça rota
vivo estará este amor em alguma parte.

Cai do Pão de Acúçar

Ou da Torre de Tv, ou do Mirante do Vale.

Não Não Não Não Não Não Não Não Não Não Não Não Não Não .
O que não é novidade e se fosse me preocuparia, mas, mais uma vez, não. SIM se houvesse um chá, um beijo, um sorriso, um remédio, uma bebida, um cigarro que rendesse coragem, pra mim, pra você. Ou uma porrada que me livrasse da condição de Maria-Tudo-Bem. Amo e tenho certeza e não estou sozinha nessa, o que já não tenho certeza e mais uma vez...Tudo Bem.
Seguir ritmo ou ser seguida. É essa a saudade. Aquela tentativa de andar com o mesmo pé e cantando " andamos todos iguais, andamos todos iguais, de um lado pro outro, pra frente e pra trás, andamos todos iguais...", como quando ainda brincava na rua na cidade pequena, ai, é essa a outra saudade. Investir no Nós só não sustenta. Mas é vaidade minha. Há um dia eu queria ter coragem de dizer com todas as palavras ao ponto de não deixar você se passar como que não vê, pra acabar logo com o jogo da só memória. Negas antes da pergun…

Só plantar não adianta.

Imagem
Tem que fazer beija-flor pousar.


Mesmo sendo em São Paulo.

Passarins

Eu sempre tive e tenho muito o que dizer. Claro, às vezes temos só o silêncio.

Eu não posso, agora, com livros grandes. E se fino não chego aos 2/3.Preciso ficar lo o oon ge. Lembro-me que passava dias e dias fazendo maquete de papel, cubinhos de papel pras casinhas, cheguei a terminar uma cidadezinha inteira, morava ainda no Gama. Foi um bom tempo fazendo uma cidade pequena, mas eu nem me importava. O trabalho me dignificou(kkk). Hoje tudo tem que ser na hora e ao mesmo tempo. Esse é o ponto em que tenho que confrontar o mundo moderno que habita dentro de mim. Pra ser artista tem de saber respeitar o tempo de cada coisa e saber ser muito no pouco que sabe. Aì que é válida a criatividade.

Ah! Tinha uma árvore que eu achava feia. A única do cerrado, mas não julgava e nem discriminava.
Hoje houve uma revelação que, meeeeeu deus, é uma das árvores mais lindas pra mim. Ela é linda em seu conjunto. Mesmo que ela fique feia na referência de beleza que nós temos, nesse tempo …

Cidade Maravilhosa

Imagem
Aqueeeeeeeeele Abraaaaço! O Rio de janeiro, fevereiro e agosto. Ei minha senhora, a senhora poderia me dizer por Gentileza pra onde que é a avenida Santa Clara? Tá longe, tá uns quatro quarteirões daqui. Mochilão nas costas, sacola de pifes e um xequerê nos braços. Mas vai andando que você chega lá inteira. Ei moço, sou daqui não, sou da capital e preciso chegar na Domingos Ferreira de Copacabana. Então, forma um zunzunzun cinco segundos depois da minha fala as duas mulheres da frente, a senhora com lenço na cabeça do banco de trás e o moço do meu lado conversando entre si pra me explicar como descer em Nossa Senhora de Copacabana. No final desci na Barata Ribeiro que foi quando me apavoraram com os intermináveis quatro quarteirões debaixo do sol e entre a beleza daquele Rio de ano inteiro.
A gente vai levando, andando no Flamengo, Botafogo e Baía da Guanabara com o Cristo a olhar em posição de vôo, no ar o cheiro de bondade retida na malandragem que me irrita e com aqueles segredos …

O que me importa: Epifaniiiiias.

Imagem
João do Pife e Lua. Aaaaaai, mooorre!
Cachorro da casa Candanga - Lunabel-DF
Meste Zé do Pife, Zabé da Loca ( aaaaAAAAAAAh) e Lua.
Lua, Seu Zé, Zabézinha, Kika, Valéria e (...)
Baiana - Portão Lunabel-DF
Igreja Petencostal de Jesus Cristo de Lunabel e mulheres a pegar um ônibus.
Carlos Malta e Lua ( moooooooooooooooooooooooooorrre!!!)
Pés - Marceneiro de Lunabel-DF
Baiana de alma Filomena Mangueira com pedaço de tapioca na mão - Minha bisavó.

Mamãe.

Foi aniversário da minha mãe. Então aqui vai uma homenagem. Porque é a mãe mais doida do mundo. E a única mãe que briga quando a filha fica doente (podem acreditar!! kkk). Contadora de histórias. Melhor gargalhada. Melhor professora. Mais chata. E o leão mais lindo da Terra.
Esse vídeo é de uma deusa que se assemelha contigo, outra deusa.



Eu te amo. Amo acariciar tua juba.

1 de agosto

Dar voltas entre as fotografias, nas fotografias, pelas fotografias me submergiu em um sentimento que não é saudade, que mais me parecia um orgulho e agunia de tê-las, porque eram muitas e todas tinham um significado.
A oficina de contadores que participei durante a semana me fez aumentar um nível na escala dos sentidos. Uma sensiblidade foi aflorada que já vejo, daqui uns dias estarei indignada comigo (talvez não, desta vez). Eu agora observo todos os detalhes dos movimentos, das emoções das mãos, da boca, dos olhos, da respiração de uma pessoa enquanto ela conta seu causo. Me parece um trabalho urgente a fazer e que entro, depois, num gozo surpreendentemente interessante que leva minha imaginação a um lugar que não sei qual. Passo a enxergar cada um em seus mínimos detalhes sentindo amor e gastura a seus vícios, suas manias.
Simultaneamente eu penso que se elas soubessem que faço isso me achariam uma filha da puta. Se fizessem comigo eu, nossa, acharia mesmo. Faria questão de pass…