Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2010

Liguei minhas Tripas

Imagem
Lorota, Lua, Duboc, Quintas e o Borba. Vocas do Lorota, tocou pandeiro. Carrapa e Lua

Percussa e Lua Lua, Duboc e Toninho
Lua e Duboc
Imagem

não morre, se encanta.

Imagem
Levo comigo cartas de meses ajuntadas, uma revistinha de maloqueiristas que ficou por aqui, quatro cuecas. Levo comigo os comprovantes das últimas duas viagem de avião. Levo comigo um papel quadrado escrito na mureta da rodoviária com um poeminha fuleiro de preguica que voce escreveu, são coisas engracadinhas. Também levo uma folha de acácia recolhida na rua, uma outra noite, quando caminhávos à noite separados da multidão. E outra folha, petrificada, branca, com um furinho como uma janela, e a janela estava fechada pela água e eu soprei e vi você e esse foi o dia em que a sorte comecou.
Levo comigo o gosto da boca na boca. (Por todas as coisas boas, dizíamos, todas as coisas cada vez melhores que nos vão acontecer.)
Não levo nem uma única gota de veneno, levo os beijos de quando você e eu partíamos (eu nunca estava dormindo, nunca). É um assombro por tudo isso que nenhuma carta, nenhuma explicacão, podem dizer a ninguém o que foi.

Nunca fui de ter inveja, mas de uns tempos pra cá tenho tido. As mãos dadas dos amantes tem me tirado o sono. Ontem, desejei com toda força ser a moça do supermercado. Aquela que fala do namorado com tanta ternura. Mesmo das brigas ando tendo inveja. Meu vizinho gritando com a mulher, na casa cheia de crianças, sempre querendo, querendo. Me disseram que solidão é sina e é pra sempre. Confesso que gosto do espaço que é ser sozinho. Essa extensão, largura, páramo, planura, planície, região. No entanto, a soma das horas acorda sempre a lembrança do hálito quente do outro. A voz, o viço. Hoje andei como louca, quis gritar com a solidão, expulsar de mim essa Nossa senhora ciumenta. Madona sedenta de versos. Mas tive medo. Medo de que ao sair levasse a imensidão onde me deito. Ausência de espelhos que dissolve a falta, a fraqueza, a preguiça. E me faz vento, pedra, desembocadura, abotoadura e silêncio. Tive medo de perder o estado de verso e vácuo, onde tudo é grave e único. E me mantive qu…

Brasília, estamos conseguindo.

Imagem
Antes de colocar aqui os vídeos e fotografias de segunda-feira que ainda nao estão em minhas mãos (aguardem), da primeira noite de T-Bone do ano que já fez o fevereiro valer a pena porque não vai acontecer coisa melhor que ouvir Liga-Tripa (CARALHO, LIGA TRIIIIIIPA!!) até acabar o mês, antes eu tinha que copiar isso aqui do email que a nath me mandou! É pra quem ficou só na conversinha de elevador, do café, pra quem ficou reclamando só assistindo DFTV e JN, pra quem só sabia falar que o Brasil não tem jeito, pra quem duvidou, desdenhou,nem leu os emails, nem repassou, e para alguns que me responderam com críticas ao movimento Fora Arruda chamando os manifestantes de "unbestas" e baderneiros... TOMA! O Arruda caiu! P.O cai junto! Segue as imagens, email ótimo! kkkk


5 mil sonhos!

Imagem
Eis que em mim isso nunca vai morrer, tenho dito.

Mulheres, selvageria e machismo.

Sobre esse assunto eu estava pra escrever desde o ano passado, eu já disse. Com ele eu não sei se eu fiquei mais chateada que PUTA, ou frustrada.
Em novembro de 2009 comecei a levantar as escamas da ingenuidade (involuntariamente) sobre sexo, carinho e as trocas de amor e outros sentimentos entre as pessoas. Para algumas, aliás, pra maioria (coloquemos MAIORIA bem grande!) tudo o que se pretende com todo mundo é sexo, isto é, se você elogiar alguém, abracar muitas vezes, conversar por tempos significa que você quer transar com fulaninho e não que simplesmente você ama a presenca, gosta de compartilhar exclamacões e interrogacões. COISA PEQUENA! Tudo é sexo, PORRA?
Não cnsigo aceitar, não mesmo. Principalmente que essa mediocridade tenha morada em cabecas de quem eu julgava ''progressista'' e livre dessas convencões ridículas da sociedade.
EU SOU ASSIM. Liberta quanto aos tratamentos, aprendi a ser assim. O que me rende muito sofrimento, mais ainda por parte das mulheres. …

Carnaval! (clique pra aumentar a programação)

Imagem
É assim! Não viagei.
Por que?
PORQUE O ARRUDA FOI PRESO! AAAAAAI, MEU DEUS!
Com direito a Habeas Corpus negado. (foi eu quem ligou pro Mello pra ameçar)

É desse jeito, minha gente!
É desse jeito. Vamo pra lá! (segue o flyer)

P.O no Xilindró. O grito vai valer!

quatro pedidos de impeachment contra o Paulo Otário!

Um dia eu disse: O Arruda cai, eu acredito. Vai ser foda, mas eu acredito. Só que o mais milagre de todos os milagres do universo será o Paulo Otávio cair. Ele tem todas as forças das trevas atuando a seu favor. Ele é o diabo na terra! Ele é, tenho certeza! Fi, se esse cair eu tiro a roupa e saio correndo a Asa Sul todinha, mais a Asa norte, até chegar na Câmara Legislativa!


Acho que to lascada! HAUAHUHAUHA

JÁ CAIU JÁ CAIU O ARRUDA JÁ CAIU!!!

Imagem
Ontem, eu não consegui escrever, descrever a minha emocão!
FIIIIIIIII, O ARRUDA CAIIIIIIIIIIIIIIIIU POOOOORRAA!

Pau no cu de quem nao acreditou e ficou assistindo televisão em casa! Eu estou pensando 49859475 de coisas de otimismo verdadeiro, de esperanca com luz! Ontem, a notícia veio, o telefone tocou, era minha mae, no meio da rua eu estava! E lá se foi o gritão entre as pessoas poucas que estavam ali: UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUULLL! ARRUDAAAAAAAA POOOORRRAAA!!!

Só cheguei em casa, mesmo o meu desejo fosse ir VOANDO pra vigília no STF, que o povo tá lá até agora, e tomar a mais forte cachaca pra comemorar! E o melhor, é Arruda e mais 5! Por enquanto! CADEIA, DESGRACADO!!

Fi, só liguei o som bem altão: TUDO TUDO TUDO VAI DAR PÉ... e A GENTE NAO TEM CARA DE BABACA, A GENTE NAO ESTÁ COM A BUNDA EXPOSTA NA JANELA PRA PASSAR A MÃO NELA... é É É ééé... E eu num me aguentando em lágrimas, e é telefone tocando com mais gente gritando no meu ouvido! E chorando e Rindo! E Xingando! POOORRRAAA!


O poder

A existência do Estado, que fundamenta a legitimidade e garante a continuidade do poder, é também a condição para que possa afirmar-se a superioridade da competência dos governantes.Com o nascimento da propriedade individual, nasce a divisão do trabalho, a sociedade se divide em classes, na classe dos proprietários e na classe dos que nada têm.Através da divisão da sociedade em classes, nasce o poder político, o Estado, cuja função é essencialmente a de manter o domínio de uma classe sobre outra, recorrendo, inclusive, à força e, assim, a de impedir que a sociedade dividida em classes se transforme num estado de permanente anarquia.O poder econômico é aquele que se vale da posse de certos bens, necessários ou percebidos como tais, numa situação de escassez, para induzir os que não os possuem a adotarem uma certa conduta. Na posse dos meios de produção reside uma enorme fonte de poder por parte daqueles que os possuem contra os que não os possuem. Em qualquer sociedade onde existam pro…
Disparo contra o sol
Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou o cara

é assim...

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas, teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale sutilmente, no ar, o trevo machucado, as folhas de alecrim desde há muito guardadas não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.

M.Quintana

uma carta

''Toda esta raiva simplesmente me fez compreender melhor que eu o amo mais do que a minha própria pele, e que, embora você não me ame tanto assim, pelo menos me ama um pouquinho - não é? Se isto não for verdade, sempre terei a esperança de que possa ser, e isso me basta...''

de Frida para Diego.

fevereiro chegou

Imagem
anteontem comecei a arrumar a parte externa da casa com a minha mãe, embora eu quisesse ter um tempo sozinha com o jardim, porque tenho facilidade em jogar coisas velhas fora, que já minha mãe não tem. dessas coisas coisas que foram guardadas por anos pra que se algum dia tivessem utilidade fossem usadas ou transformadas. É tanta coisa que se eu que tivesse o dinheiro mandaria embora com um contêiner ontem mesmo. quando vamos abrindo o caminho para novidades descobrimos que embaixo do pé de manga tem um espaço muito bom onde se pode colocar uma bela de uma rede e plantar girassóis, pintar o muro bem colorido. lá vai ter bem grande um Nossa Senhora bem do estilo Moacir feita pelas minha mãos.
só que o seguinte, passei o mês de janeiro todo organizando os planos ( um deles é que enquanto eu estudar pro vestibular darei a benção da primavera latejante à minha janela e abaixo dela, vou plantar muitas flores, muitas flores e quando eu passar, elas estarão crescidas e floridas, junto comigo,…