Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2010

PARTE 3

Gente, minha casa tá a Babilônia. Tá em Reforma e eu tô no fim do semestre. Eu tô muito sem tempo! E sem espaço e sem silêncio. Impossível. Eu conto depois a parte que todo mundo sabe que ele tava me dando mole.
Tenho muita s noviddades.

Beijo me liga.

PARTE 2

Eu, na verdade, já ia contar a parte mais interessante da história toda, dentro desse mundo de histórias que me aconteceu em apenas alguns dias, e assim, quase me esqueci de terminar de contar sobre a audição que comecei na PARTE 1. Bom, a minha amiga ligou um dia depois que a audição havia acontecido, no caso ontem. kkkkk perguntando assim: eaí, você vai mesmo lá hoje?  E eu: carai,esqueci! Pra onde? Marquei a alguma coisa contigo? Ela: Uai, não é hoje o negócio lá? Eu: Como assim, mas que negócio? Ela: A audição lá, mulher!! Eu: Mar ôxi, a audição foi ontem. E í houve um reboliço dentro da cabeça dela porque ela pensou que anteontem era ontem, só que não. É sacanagem, eu sei, isso de esquecer o dia de uma coisa que vc já tá esperando é meio sacanagem da vida, mas relaxa porque é dessas coisas que eu quero falar. Quando a gente perde uma coisa é pra ganhar outra. O mundo é cabuloso, minha gente. Então, vamos à audição.
Cheguei, um pouco atrasada. Um dia antes: internada 8 horas, e ai…

pra mim é tudo ou nunca mais

cazuza

PARTE 1

Imagem
Se eu te falar o que me aconteceu por msn vc vai enlouquecer de tanta informação solta. E como todo mundo fica perguntando e eu tenho o imenso prazer de contar, contar de novo, contar mais uma vez pra quem quiser saber, estou escrevendo logo aqui no blog pra ficar registrado essa coisa. não vou guardar só pra mim.

Seguinte: antes de eu viajar pra São Paulo recebi um email de uma amiga me informando sobre uma audição que ocorreria no dia 17 e 18 de novembro para o novo espetáculo do Basirah. E como estou começando agora minha vida artística tentar faz parte, conseguir e não conseguir também.
Bom, viajaria no dia 8 pra voltar no dia 14, então respondi minha amiga querida que tentaria fazer sim. Mandei minha carta de intenção pro Basirah. Fui pra São Paulo, vivi, voltei pra Brasília, e digo que por esse voltar mágico, essa parte mais especificamente, que estou escrevendo essa anedota.
Dia 17 foi quarta-feira, o dia da audição. Na terça-feira, indo pra faculdade, desmaiei no metrô por alg…

sampimperatriz

Sampa tá muito louca. Aqui não dá pra ter uma visão muito master da cidade enquanto ando de baú, porque simplesmente não ando de baú. Metrozão. Põe ZÃO nisso! Brasília é uma bosta mesmo de transporte, pelo amor de deus! Toda vez que saio da cidade fico mais indignada. Então vamos lá. (Tô escrevendo pra mim mesmo, quando a gente reler tudo um dia, a gente vê como éramos eternos.)   Terça primeiro dia na metrópole, acordei tarde por conta do voo que chegou de madrugada aqui. Daí já fui diretão pro Masp. Fiquei de encontrar as meninas lá, então fui só, só mesmo, sem meu pife. Cheguei e até curti o espaço; amplo, pedra no chão, com as gramas nas entranhas delas. pouca gente. Tava fazendo O SOL DA BAHIA na cidade da ex-garoa da enchente. Eu tava meio ansiosa, não era uma hora muito boa pra ver exposição. Comprei a posia de um marginal por algumas moedas. E mais uma vez lembro que senti falta do meu pife, porque ao esperar alguém ele chama outro alguém pra conversar, que é uma iniciativa que…

prímia tarde-noite

essa é uma são paulo diferente das outras vezes. é sampa que os paulistas da real conhecem. são paulo que suja o pé. que o bigode sua. aliás tenho que ver esse negócio de passar mal. pressão baixa. dor de cabeça latejante. e sabe que me dá uma saudade de ouvir o trio: felipim, pedrinho e marquinhos... luz.
eu vi o céu, eu vi o mar. eu vi o sol, eu vi a lua. como se fosse dois lados de uma mesma rua.
era dessa novidade que tava faltando. do medo tácito.

prímia manhã

o voo atrasou duas horas, cheguei na cidade do grito quando ela estava em silêncio, na madrugada do dia 9. o apartamento calado e da janela pra fora ruídos, palavras, movimento. é como um corpo. e minha cabeça se perde em pensar o que fazer diante de tantas possibilidades. são paulo são paulo são paulo brasil brasil brasil brasil...então bora ali... ali ó... na miragem longa da janela. hasta.

1988

o estresse é o resultado do homem criar uma civilização, que, ele, o próprio homem não mais consegue suportar
depois de mirar o vazio sobre o que eu quero, apenas ir ao teatro à pé, ou de ônibus... Porque simplesmente queria estar mais tempo de mãos dadas enquanto percorremos o caminho. Mas nem sequer cheguei  a um destino dividindo o sorriso. Não recebi sua carta com o convite de ir à festa de amigos que dividimos.
o que eu tô precisando é de um belo chá de cadeira. um belo chá de cadeira de trem, onde eu possa ouvir o barulho estando no silêncio, dentro da imagem de anos 30 que consigo desenhar na cabeça. aquele mato correndo ao lado dos trilhos. e me apaixonar nesse trem, paixão de verão, que beije minha mão, me dê uma flor roubada de um jardim com cerquinhas brancas. estaria usando meu batom vermelho que realça meus olhos, minha pinta ao lado da boca. sentir prazer, e esquecer de tudo. ao dormir ter alguém do lado que queira dividir a cama, sem pensar em frações ou posições e que me responda "boa noite" quando eu a oferecer.  preciso sentir o vento na cara enquanto caminho na praia de alagoas, e então sentar e contemplar o mar. o mar de sophia. queria receber uma carta que me faça sentir a mão levantando meu queixo, outra carta que me faça rir, uma carta que tenha um presentinho dentro, uma carta com uma fotografia e um desenho, eu queria esperar por elas, sabendo que estão chegando. …

Eu sou uma Dilma também!

Imagem
Agora que eu to parando pra escrever aqui sobre o domingão mais feliz de 2010. Como sempre, dia de eleição é dia de ir pra quebrada do Gama, porque é lá que todo mundo daqui de casa vota, lá está a história de atividades sociais e políticas da minha família, principalmente de minha mãe e minha.  Essa foi a primeira eleição que eu aperto o botãozinho verde na urna validando um voto meu. Sei que ganhei muitos votos num trabalho de anos, por minha posição dentro das discussões na escola  que plantou alguma semente na cabeça de quem escutou a mim e meu colegas de ombro.  Eu faço parte dessa história, história de militância que colocou Lula e Dilma na Presidência da República! Sei que está longe de um governo perfeito e é pra isso que serve a oposição, pra fazer crítica inteligente à favor do Brasil e não de uma vaidade verde ou azul ridícula. Ainda estou muito chateada com o posicionamento de Marina sobre quem iria apoiar, não consigo entender, diante de toda a sua história de luta e dificu…