Postagens

Mostrando postagens de Março, 2017

oferenda canion minguante de luz máxima

queria alguem pra me mandar recado online e publico só pra falar de uma lembrança que deixa a gente eterno sentindo um sorriso de canto, ou de dentes inteiros que abre a testa, o coração e dá aquele gosto bom de vida o querer tem um gosto que é bom, mas é ruim porque na verdade to bem boa aqui onde to me fudendo um pouco, mas superando esses degraus ao fúnebre minguante, sanguíneo mas que a cada raio de mínima luz, vivo e vejo a sombra máxima, que passou por aqui e me sou sendo ainda, luz oferenda viva

manhãna

Imagem

bem feito, perfeito

cabulosa
é uma palavra que falo muito
e ja quis parar de falar
mas a palavra volta

ser quem a gente é
a gente se perde muitas vezes
que loucura
qual deses é o maior delírio
estar fora ou dentro de si?

eu acredito em disco voador
e na minha petulancia
de quando sou abusada
de quando passo
e sou
e é doce, de papel
chumbo é bom
quando passo voando

eu sou cabulosa

façomainão, aprendi

cortina e varão para banheiro extensão de tomada cortina barraca individual saco de dormir mochila menor pisca pisca uma bola de pilates estive longe da minha dança, do meu canto correndo atras de uma fome e de uma sede de ser compreendida de canalizar toda essa minha raiva pra algum lugar acredito que fiz beleza, amei bem fundo um amor que se foi se foi como carro máquina que vai tirando a plantação da terra mas ficou a terra. e a minha nova fome de criar e por tanto estive olhando essa terra, vi chuva cair, trovão pés passarem por mim, que sou essa terra nunca fui tao terra. nunca amei tanto terra, barro deus que cria do pó logo eu, que sou esse grão saudade da dança que samba pisado que pega fogo tornozelo caliandra fora da estação tava sendo grão e olhando o deserto, a gente tem medo da vida, por vezes solidão que é caminho pra ser nois só resta ser nois grão de areia deixei pandeiro e triangulo em algum lugar que nao faz mais existir troquei troquei o que a mão toca pre…

grão de areia

Imagem
tristeza mora comigo
por causa da solidão
eu pareço uma andorinha
querendo fazer verão
uma gota de agua doce
querendo ser ribeirão
uma semente caída
querendo ser plantação
mas olhando pro deserto eu sou apeas um grão de areia
um grão
de areia
um grão
de areia
um grão

sou um peixe do cardume no mar da imensidão
eu sou uma flor do cerrado que nasceu fora da estação
quero ser bom capoeira
e jogar com o coração
mas olhando pro deserto eu sou apenas um grão
de areia
um grão
de areia
um grao
de areia
um grao

eu queria ser o luar que iumina o meu sertão
ou então ser uma estrela de qualquer constelação
vou andando pelo mundo com meu pandeiro na mão
mas olhando pro deserto eu sou apenas um grão

de areia
um grão
de areia
um grão
de areia
um grão